Quando barcos de plástico valiam o risco!

Não são poucos os fins de ano em que acabo fazendo uma boa arrumação nas coisas do meu estúdio, das minhas gavetas, prateleiras, pastas, etc. Talvez seja uma maneira concreta que simbolize fisicamente o balanço geral que fazemos de tudo o que passou. Enfim, arrumando as minhas estantes, deparei-me com algumas das action figures que decoram meu ambiente de trabalho. Em especial, os bonecos de super-heróis da Gulliver, lançados aqui no Brasil nos anos 7o. Se comparados aos parâmetros técnicos dos brinquedos colecionáveis de hoje, BONITO seria o ultimo adjetivo que estas pequenas figuras de borracha (e algumas de plástico monocromático) receberiam. Até contei em um dos episódios do ArgCast sobre como elas entraram em minha infância (um presente de páscoa de meu pai), e desde então, tornaram-se ferramentas para diversas aventuras que eu, moleque, criava em crossovers maluco que não tinham barreiras editoriais (figuras da DC e da Marvel) nem de marcas (super-heróis e Playmobils ?). 

Gosto demais delas, têm um significado importante para mim ( e até recentemente ganhei varias delas do meu bro Fabiano Silveira – que faz o ArgCast comigo – de presente de aniversário). Bom, naquele mesmo ano em que ganhei elas pela primeira vez de meu falecido pai, eu pedi a ele uma Bat-Lancha. Eu tinha uma piscina pequena, os bonecos, já tinha um bat-móvel, … e porque não o veículo anfíbio do Homem-Morcego?

Chegou o Natal, e lá fomos nós ao já tradicional encontro da família, na casa dos meus avós maternos (queridos vô Osvaldo e vó Edith). Naquele ajuntamento divertido com a “primaiada”, tios, tias, amigos das famílias, todos íamos jantar e aguardar a chegada do Papai Noel – que nós, crianças, já achávamos estranho, pois geralmente o “bom velinho” vinha usando máscaras plásticas bizarras que fariam Mike Myers parecer seu melhor amigo.

Naquela noite de Natal, os presentes chegaram mais cedo, com o argumento de que “o Papai Noel pediu para deixar os presentes todos juntos e ia entregar às crianças“. E não só eu, mas TODA molecada ali queria chegar perto dos presentes, mas “não podíamos, pois os pacotes seriam entregues somente pelo Papai Noel “serial killer’ que estava pra chegar”. E, para piorar minha situação, entre todos aqueles pacotes, lá estava, embalado em plástico transparente, agressivamente escancarando todo seu “azul cobalto”, o barco do Batman!

Sabe o que falam sobre bêbados, que se acham sorrateiros como ninjas e que não fazem barulho algum quando resolvem movimentarem-se furtivamente? Pois as crianças não precisam estar embriagadas para pensarem da mesma forma. Eu esgueirava-me, olhando para todos os lados, no intuito de, pelo menos, tocar naquela Bat-Lancha que eu tanto queria! A lancha estava no beiral da janela da sala, janela esta que dava para o pátio da casa dos meus avós. Quando estou quase alcançando o pacote, viro-me e dou de cara com o Papai Noel, ou pelo menos uma coisa bizarra que era pra ser o nosso “Papai Noel” naquela noite! Na hora eu gelei, arregalei meu olhos e tirei minha mão do pacote dizendo “Eu não ia pegar! Mas esse barco é meu, hein?”. Não preciso dizer que por pelo menos uns 20 minutos (não sei ao certo) eu REALMENTE achei que não ia ganhar aquela Bat-Lancha. Na hora da entrega dos presentes aquela cara de plástico não me intimidou mais – pois não seria ela que ia me dizer se eu devia ou não pegar meu presente. Pode parecer uma historia maluca… mas sabe o que é mais engraçado? Meu pai tirou uma foto daquele exato momento em que eu tentava sorrateiramente pegar o meu brinquedo! Veja logo abaixo!

Bom, naquele verão o Batman teve que emprestar a sua Bat-Lancha para a Liga da Justiça (e Vingadores tbem, porque, como eu já disse, misturava os personagens mesmo).

Após arrumar minhas prateleiras e lembrar-me deste ocorrido, em que valia à pena desafiar o Papai Noel por um barco de plástico, conclui que SEMPRE vale a pena você peitar todas as dificuldades que a vida possa colocar no seu caminho se você objetiva algo. Que a vida sempre vai colocar no seu caminho caras de plástico que não mostram realmente para o que vieram, e que você terá que encara-las, e mesmo que recue em algum momento, isso só servira para que sua investida seja mais segura e pensada na próxima vez.  Aprender com os erros e sempre olhar pra frente.

Achei que esta história seria uma boa mensagem de fim de ano para todos vocês.

Não desistam de seus barcos de plástico! Eles SEMPRE valerão à pena!

Feliz ano novo pra todos nós, pessoal!

NYCC 2011 – THANKS!!

NYCC this year was amazing! The Show, the DC Comics party, meet my work fellows from outside Brazil, .. it was very cool! Thanks to all people who visited my Table on Artist Alley, and after this, the autograph section inside Forbidden Planet (NY) comics store.

Soon I´ll post some pics.

Thanks,

HDR

A NYCC deste ano foi incrível! O Show, a festa da DC Comics, encontrar companheiros de trabalho daqui e de fora do Brasil, .. foi muito legal! Graças a todas as pessoas que visitaram a minha mesa no Beco do artista, e depois disso, a seção de autógrafos dentro da Forbidden Planet (NY) comics store.

Em breve vou postar algumas fotos.

Obrigado,

HDR

Tao, a gift to Maurício Dias

This illustration was a gift to my friend Maurício Dias.
His character´s Tao is one of many showed at his graphic novel, Retro City (coming up here in Brazil), and have participating of many Dinamo Studio mates, drawing short stories with the Mauricio´s characters. My short storie shows Tao, his character, created using the Batman archetype, a direct reference to the golden agecomics heroes (like all Mauricio Dias creations to Retro City project).

But when I´ve made the art of the character´s story, I´ve tryed to catch some martial arts visual punch, and a comparation with Green Hornet´s sidekick Kato (interpretated by Bruce Lee) is inevitable :D.

Maurício publish these illustration first in his blog. Check it out!

Entrevista no ARGCats

Dia 20 de setembro fiz minha primeira participação em um Podcast.

O pessoal do Arg!Cast, fez uma entrevista comigo, e foi muito bacana! Em retribuição, fiz um sketch da Lady Death para eles, e vc pode ver abaixo um video de “Making of” do desenho, um scan da imagem, e o tag do podcast. Confira o podcast aqui!

September 20th I´ve make my first participation in a Podcast.

The Arg!Cast crew interviews me, and it´s was great! As a gift to the cast, I´ve create a exclusive Lady Death sketch, and you can see up a “Making of” video, the complete image, and the Podcast tag. If you understand Portuguese language you can listen here!

Disney buy Marvel..what´s next?

Disney to buy Marvel in $4bn deal!

After read it, I make these quick illustration just for fun…

Excuse me the shitty color work! Like I said, It´s a quick illustration, just for fun.

Tnkx !

Disney compra Marvel em acordo de 4 bilhões de dólares!

Depois de ler isto, eu fiz esta ilustração aqui, apenas por diversão…

Me desculpem a cor bagaceira, como eu disse antes, é um desenho feito ‘as pressas, apenas por diversão.

Valeu !

Updated post: September 2 – 2009

Unexpected, many websites mentionate my work with this illustration. Wall Street Journal (USA), El Universal (Mexico), and the Brazilians Papo de Artista, Judão, and many others. If you will see here these image, or any other form my website, please, add a link! thanks a lot!

Bellow, the links: