Hellboy II – The Golden Army

[singlepic=236,420,340,,left]Hellboy II – The Golden Army was one of the waited comics-to-movie this year. The character created by Mike Mignola‘s one of my favorites comics characters, cause his indirect link with the HP Lovecraft literary horror universe and also by the Mignola art style, who in my view, reached an apex technical single in the precise use of light and shadow. In the first film, directed by Guilhermo Del Toro, watched step-by-step for character’s creator, the design envoirement and unique color use on Hellboy comics pages could be seen in each scene. The origin of the Big Red was displayed with great refinement and fun.

This continuation, which was also directed by Del Toro ALMOST did’nt happen. The first film had a good reception, but was not to make Universal Studios give an immediately green signal to the second movie. But I think It was one of the factors that makes this second part from the Mignola’s character movie saga sound different to the first movie. Del Toro has created a new story for the movie, inside the usual character’s universe. Many new creatures from the imaginative mind of the director of PAN’S LABYRINTH catch our imagination and makes (in my situation) an interesting thought similar when I read the first Hellboy’s stories. I thought “how would that story in the cinema”? This second Hellboy movie has taken me to think “how would be look this story with the Mignola’s art”?

The movie’s enjoyable. Del Toro has control into the humor and action moments, and precisely in the way (humor), make the common audience feel more empathy with the creatures series, Abe Sapien falling in love for the Elf princess, drunk, with Hellboy, singing “I Can’t Smile Without You” provide us one of the most surreal moments for fans of the series. Surreal and hilarious. For those who like the comics, Hellboy and don’t approav a moment like this, just remember the passion of character for pancakes in history “Pancakes” (Mignola has done for Dark Horse Presents Annual 1999). All this was already there, the quick humor, the non sense… Guilhermo only emphasized more this signals in the second movie, ’cause it certainly sound more cool to the public who won’t know the character. Probably, if not an argument, was a requirement of Universal Studios for this sequel happens.

The new characters are great. The brothers elfs, the frightening Angel of Death, and “Tooth Fairy” (you’ll know the quotes when you watch the film). And Ron Perlman IS Hellboy. Abe’s Doug Jones are untoclable (as usual), … More comments would be spoilers. But is a cool movie.

And here, my usual sketch. Tried simple lines work because admire the way that Mignola develop his arts, to showing much things, with a few lines.

Oh, yes … Asked me not because I did my usual sketch and comments on the PROCURADO, the “adaptation” of the comics mini-series to the big screem with the same name, created by the dual Mark Millar and JG Jones. Well .. READ the mini-series. It is infinitely better than the film. Certainly.

Annnnd after Batman – The Dark Knight, it will no easy to find a good comics adaptation to movies too soon.

See ya!

Hellboy II – The Golden Army era um dos filmes relacionados à quadrinhos o qual eu estava aguardando para este ano. O personagem de Mike Mignola é um de meus preferidos, por sua relação com o terror literário de H.P. Lovecraft e também pelo próprio traço de Mignola, que ao meu entender, atingiu um ápice técnico único, no preciso uso de luz e sombra. No primeiro filme, dirigido por Guilhermo Del Toro, acompanhado à risca pelo criador do personagem, a estética do desenho e cores na revista de Hellboy podiam ser vistas em cada fotograma. A origem do Big Red foi mostrada com muito requinte e diversão.

Esta continuação, que também foi dirigida por Guilhermo Del Toro QUASE não aconteceu. O primeiro filme teve uma boa recepção, mas não foi nada expressivo que gerasse uma decisão de continuação imediata por parte da Universal Pictures. Mas acredito que este foi um dos fatores condutores que fizeram desta segunda parte da saga do personagem de Mignola nos cinemas soar diferente ao filme anterior. Del Toro criou uma história nova para o cinema, dentro do universo do personagem. Diversas criaturas novas saídas da criativa mente do diretor de O Labirinto de Fauno, que alimentam nossa imaginação e causam (pelo menos em mim causaram) um pensamento interessante ao que tive quando lia as primeiras histórias de Hellboy. Assim como eu pensei “como seria essa história no cinema”, este segundo Hellboy me levou a pensar “como ficaria esta história na arte de Mignola”.

O filme é muito divertido. Por vezes parece perder a medida do humor e da ação, mas Del Toro conseguiu equilibrar, e justamente no humor, aproximar as fantásticas criaturas da série, com a empatia imediata do espectador comum. As dores de amor de Abe Sapien (um de meus personagens preferidos na série), bêbado, junto ao seu colega demônio, ao som de “I Can’t Smile Without You” propicia um dos momentos mais surreais para os fãs da série. Surreais e hilários. Para quem gosta dos quadrinhos de Hellboy e não gostou de momentos como este, basta lembrar da paixão do personagem por panquecas na história “Panquecas” (que Mignola fez para a Dark Horse Presents Annual 1999). Tudo isto já estava lá, o humor sagaz, o non sense. Guilhermo apenas acentuou isto mais neste segundo filme, pois ele sem dúvida precisava soar mais simpático ao publico que desconhece o personagem. Com certeza, se não foi um argumento, foi uma exigência da Universal Studios para que este segundo filme ocorresse.

Os personagens novos são ótimos. Os irmãos elfos, o assustador Anjo da Morte, e as “Fadas dos Dentes”. Entenderá as aspas quando você assistir ao filme. E Ron Perlma É o Hellboy! O Abe Sapient de Doug Jones está impecável (como sempre)… Se eu comentar o resto, seria spoiler. Mas sem dúvida, é um filme divertido, e que precisa ser assistido sem o olhar purista de um fã.

E aqui, o meu habitual sketch. Procurei trabalhar linhas simples, pois admiro o domínio que Mignola tem no traço, em dizer muito, com tão poucas linhas.

Ah, sim… Perguntaram-me porque eu não fiz meu habitual sketch e comentários sobre O PROCURADO, a “adaptação” da mini-série de quadrinhos para o filme de mesmo nome criada pela dupla Mark Millar e JG Jones. Bem… LEIA a mini-série. É infinitamente melhor do que o filme. Garanto.

Eeeeeee depois de Batman – O Cavaleiro das Trevas, vai ser dificil achar tão cedo uma boa adaptação de quadrinhos para cinema.

Até mais!

One thought on “Hellboy II – The Golden Army

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s