Rebobine, por favor

Sem tempo para fazer meu habitual sketch relacionado a cinema (até porque assisti nessas semanas que passaram a vários filmes), resolvi comentar algumas coisas sobre o mais recente que vi, Be Kind Rewind (EUA,2008), ou em português Rebobine, Por Favor.

Filme relativamente simples, por vezes ingênuo,  e por esses aspectos perdoável em simplismos de trama. Mas cumprindo a função de diversão com eficiência. Pois aí que está a diversão. Principalmente pelo modo como acontecem as tais refilmagens de Jerry (Jack Black) e Mike (Mos Def – que só havia visto até o momento, que me lembre, no filme 16 Quadras, com Bruce Willis – aqui está hilariantemente estranho e natural). Estas refilmagens devem-se ao fato de que, acidentalmente, a decadente locadora de filmes VHS na qual o devotado Mike trabalha, tem todo seu acervo apagado, o que leva-o à atitude desesperada de re-gravar todos os filmes do acervo com ajuda de Jeff. E da maneira mais tosca possível. A visão, digamos, artesanal e caseira de clássicos como 2001, Robocop, Caça Fantasmas, Hora do Rush, Homens de Preto, Rei Leão e outros, nos leva na nostalgia, quando em algum momento você teve a grata sorte de colocar as mãos em uma câmera VHS e inventar filmes toscos de aventura, nos finais de semana tediosos, ou até em trabalhos escolares igualmente tediosos, mas que por terem este recurso, viravam uma farra nerd.

Bom, acontece que os filmes que Mike e Jeff tornam-se mania na vizinhança na locadora, levando a dupla a serem versões intencionalmente engraçadas e contemporâneas de Ed Wood. Vale destacar que além das evidentes homenagens às obras citadas, o elenco conta com Danny Gloover (dono da locadora), que acaba por participar de uma das refilmagens (não de Máquina Mortífera ;)).

A meta-linguagem come solta, e o filme tem pinceladas de intimismo, que acabam por ganhar espaço no final, com uma clara homenagem ao Jazz e à paixão pelo cinema. e uma evidente crítica à industria do entretenimento, que nos faz questionar até que ponto uma idéia é original e, consequentemente, de propriedade privada ou corporativa.

Você sai do cinema achando graça, e se perguntando porque as pessoas se levam à sério demais às vezes.

2 thoughts on “Rebobine, por favor

  1. Cara gosto muito do teu trabalho e espero chega tambem com o meu trabalho onde tu chego parabens ai pelo site e teus trabalho com a lady death ^^V sorte ai cara.

  2. Assisti aqui no cinema há um mês atrás, mais ou menos. Muito legal o filme. Me diverti mto… o filme é divertido e criativo. E eu adoro o Jack Black! :P

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s